Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Da Vida

(Partindo do mote de Miriam Yisrael: fazer de conta a vida.)
 

Fazer de conta a vida nunca soube.
A vida não é farsa nem é drama.
A vida é este grito que me chama
no pouco de infinito que me coube.
 
Na vida sou um átomo de um astro
que, um dia, consumido, se apagou.
Se por memória dele aqui estou,
é nele, seduzido, que me encastro.
 
E quero consumir-me como um círio,
ardendo em sacrifício de oferenda
à vida que  tornaram um martírio...
 
Assumo a vida como humana senda,
pureza de um imaculado lírio
sangrando p'la barbárie da contenda.
 


22 de agosto de 2004.
Viana do Alentejo * Évora * Portugal
José Augusto de Carvalho
Enviado por José Augusto de Carvalho em 25/06/2005
Código do texto: T27770
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
José Augusto de Carvalho
Portugal, 79 anos
182 textos (7606 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 00:18)
José Augusto de Carvalho