Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sendo o mesmo de sempre

Concluir aquilo que se esperava
é o mesmo que rugir como o vento que soprava,
acordando os sete ventos,
enxergando que, em certa hora, cessam os tormentos.

Na mania triste e descabida de sofrer
ninguém faz da derrota um simples “perder”.
Insistir no ir e vir do conseguir ou se esvair
nos faz capazes de ventilar idéias sobre seguir.

Hilário! Diário de um otário...
No fundo o mundo é ao contrário.
As extremidades não existem diante ao espelho.
Cada dejeto respira como se fosse um inseto vermelho.

Julgar a forma de jogar na norma de vagar:
Intrépido e voraz, rumo ao ano que está para chegar.
Ansiedade! Esquerda ou direita?
Eu, plebeu, com seu Orfeu, viro aquilo que rejeita.

Sono... Morno... Confuso... Socorro!
Rafael S Valle
Enviado por Rafael S Valle em 31/10/2006
Código do texto: T277987
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rafael S Valle
Angra dos Reis - Rio de Janeiro - Brasil
176 textos (5034 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 04:14)
Rafael S Valle