Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Seqüência


Seqüência
           

O sino toca uma, duas, três vezes
Desperta o vento que cochila no horizonte
Brincalhão, sai de trás da nuvem clara
Soprando forte, levanta as saias das meninas que passam.

O sino acorda o vento......

O sino toca uma, duas, três vezes
Desperta o vento que sacode os galhos das arvores
As florzinhas miúdas voam e se escondem
Entre os cabelos e os decotes avantajados das meninas

O sino acorda o vento, que acorda as flores....

O sino toca uma, duas, três vezes
O vento cheio de graça e zombador
Enfeita a praça de flores amarelas que grudam
Na pele alva da criança adormecida no colo da mãe.

O sino acorda o vento, que acorda as flores, que acorda a criança.

O sino recolhe silencioso na torre da igreja
O vento se acalma e as meninas continuam apressadas
Atravessam a praça pisando nas flores amarelas
A criança corre no meio dos balões coloridos que o vento espalhou.

O sino acorda o vento... que acorda o desejo dos homens
Esparramados nos bancos da praça,
Olhando as meninas em movimentos.



Perpétua Amorim
Enviado por Perpétua Amorim em 31/10/2006
Código do texto: T278214
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Perpétua Amorim
Franca - São Paulo - Brasil
145 textos (4174 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:50)
Perpétua Amorim