Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Enganos

Engana-se quem pensa que penso
querer do saber que não sei.
Engana-se quem acha que almejo
cumes que não alcanço
ou glórias que olhos tensos,
julgando-me de própria lei
ao transgredir no varejo,
em versos que afianço.


Quem pensa que escadas subo,
que em preces por mim peço,
não sabe do meu escuro
em águas que não dão pé.
Sou eu quem mais me derrubo,
em minha sombra tropeço.
De vácuo é meu porto seguro,
onde amarro minha fé.


Nesses passos que gaguejo,
será que meu novos sapatos
levam-me, enfim, à estrada
que chega à simplicidade?
Cansa-me, da frase, o cortejo
onde versos caricatos
camuflam emoções por nada
em vadia loquacidade.

Usei tantas reticências
forjando mistérios na pausa,
multiplicando o derrame
de falsa verborragia.
Bastaria, sem ciência
um ponto isolando a causa
sem razão, da rima infame

que usei por covardia.
Meu apego ao desapego
coloca-me frente à sorte

que outros pensares me pensam.
Noves fora, me esvazio
de atributos que renego.
Do espelho me espia a morte,
em vírgulas que não descansam
e em vida, me silencio.
Elane Tomich
Enviado por Elane Tomich em 27/06/2005
Reeditado em 16/11/2005
Código do texto: T28340
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elane Tomich
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil
319 textos (11440 leituras)
1 e-livros (126 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 04:17)
Elane Tomich

Site do Escritor