Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

POETA SEM AMOR

Que amargura resvala em meu coração.
Como um colibri sem o néctar,
Tal qual a abelha para fazer o mel.
Por que como o espelho reflete a minha imagem
Quem me ama por igual não sinto?
E, se alguém eu amo, por que a mim não ama?
Dai-me, Bom senhor Deus, alguém para amar!
Que reluza por minh’alma o jorro de sangue do meu amor.
Faça com que me rubre a tez, por estar passional por alguém.
Que entonteça e embriague-me em volúpias seios
De fresco aroma de frutas e flores.
Dar-me-ia amor, se assim soubesse fazer.
Como não sei, finjo saber para que outros não vejam meu segredo.
Tinjai o meu corpo com vermelhos e louros cabelos
Para que da desvairada cobiça pela amada que amo (se é que amo eu a alguém) não me envergonhe.
Da tristonha enxaqueca que as veias de minha cabeça latejam rumores
Tambores que de meu peito rugem.
Pena que não caibo no meu amor (se sei o que é amor e se o tenho),
Pois sou fraco de carne e nervos.
Quero dizer-me poeta por apenas escrever baboseiras de amor.
Poeta sem amor!
Como posso se não o tenho e nem o sou?
(09/2002)
Rodrigo Messias Cordeiro
Enviado por Rodrigo Messias Cordeiro em 10/11/2006
Código do texto: T287146

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Por R. Messias Cordeiro). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rodrigo Messias Cordeiro
Feira de Santana - Bahia - Brasil, 33 anos
276 textos (13662 leituras)
9 áudios (1184 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:55)
Rodrigo Messias Cordeiro