Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Tempestade virtual

Euna Britto de Oliveira
www.euna.com.br

Belo Horizonte, 1980



Tempestade armada,
e eu, antiga desamada,
querendo evitar com o simples
sopro de minhas palavras
os fundamentos de uma desgraça...

Estou arrasada como cidade bombardeada
em seu centro!
Hoje, rezei demais.
Juramentada,
latejo na paciência de Jó.
Se Deus olhar pra baixo, vai me ver!

Quando começo a pensar vago, falhado e torto,
a ser puxada para a estratosfera,
procuro o mastro em que Ulisses se amarrou
para resistir ao canto das sereias
e não acho.
Então, agarro-me a um lápis ou a uma caneta
aqui em baixo.
Peço a Nossa Senhora para dirigir
com os olhos o meu barco raso,
judiado pelas ondas, pelas pedras,
cheio de gente sem riso,
que só Deus pode alegrar!...

Tranco a porta e tranço um verso.
Para quem morre na guerra,
que diferença faz se a guerra é mundial ou localizada?
O fim do mundo vai coincidir
com o fim de todas as jabuticabeiras...
Já o fim de cada um de nós tem o poder de anular o mundo inteiro,
de deletar e eliminar tudo que nele existe.
Tenho a impressão de que é assim.
Quem é que sabe?...
Mas pode ser também que tenha o poder de tudo salvar e arquivar,
corrigir, substituir, inserir...
De repente, a gente é igual a computador.
E não sabe!...
Euna Britto de Oliveira
Enviado por Euna Britto de Oliveira em 10/11/2006
Código do texto: T287313
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Euna Britto de Oliveira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
995 textos (34680 leituras)
6 áudios (364 audições)
12 e-livros (692 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 07:06)
Euna Britto de Oliveira