Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ZERO A ZERO

ZERO A ZERO

Elane Tomich

Este sertão zero a zero...
Estas mãos que se parecem
galhos nus em prece ao sol.
Vazia, esta prece perdida
acerta a espera com esmero
na fila dos que padecem.
Esta multidão zero a zero
aumenta as vezes no rol
do mínimo mútiplo comum
das penas da sobrevida
que dão asas à vergonha.
Meus dois vales zero a zero
nesta orgia de sol,
nesta fartura escondida
no canto do bem-te vi,
no canto do quero-quero,
no canto de muitos cantos
nas mágoas do Mucuri
sulcos do Jequitinhonha
onde a água é pedra e pranto.
No mapa da geografia,
o fim da cidade é fria.
Século e meio zero a zero
meio mundo , mundo inteiro
um não quero, outro espero.
O trem parou em janeiro
pra sempre, estação do empate
Desejo no despenhadeiro
cai, sem direto a resgate.
Elane Tomich
Enviado por Elane Tomich em 28/06/2005
Código do texto: T28768
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Elane Tomich
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil
319 textos (11466 leituras)
1 e-livros (126 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 17:38)
Elane Tomich

Site do Escritor