Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

NOSSAS MARCAS QUE SABEMOS

NOSSAS MARCAS QUE SABEMOS
                                    Chico Steffanello

Então estranhas o traço triste da minha alma?
Era eu ainda o menino dos folguedos,
Do sorriso fácil?

Diz tanto assim apenas a minha voz?
O que seria das tuas memórias se visses agora as pupilas dos olhos meus?

Verias que o tempero da vida
Quebrou o eterno brilho
Dos olhos sempre cristalinos
E neles deixou espelhos de noites quase eternas.

De tão densas noites
Será que verias ainda
Alguma luz
No fundo
Do meu olhar?

E
A viva voz o que traria?
Mansa e calma
Esconderia o eco de tantos gritos de dor?

Esconderia as palavras ditas para ninguém
Em horas e horas de deserto,
Em horas e horas de vontade de dize-las a ti?

Talvez eu nunca saiba como seria isso...

Talvez, talvez, talvez...

Mas, o que aconteceria aos meus olhos ao mirar o azul dos olhos teus?

Mar...



Chico Steffanello
Enviado por Chico Steffanello em 30/01/2005
Código do texto: T2913

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chico Steffanello
Sinop - Mato Grosso - Brasil, 58 anos
246 textos (31038 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:23)
Chico Steffanello