Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Auto-descrição


Sou aquilo que se vê em dias claros de Sol
Sou aquilo que não se espera e o que se espera pra tarde demais
Sou um tudo e um nada
E só seus olhos isso podem ver
Sou aquilo e aquilo outro
Sou abstrato, sou pouco de você
Sou lembranças do passado
Aquele que um dia você pôde ter
Sou aquela que você sempre quis
Como irmã, amante, amiga
Sou o sim que detesta um não
Sou o não que odeia um talvez
Sou a primavera do seu verão
A flor que acabou de desabrochar
Sou o sentido mais excitante do sexo
Sou comprometida com meus pensamentos
E se sou uma mulher perdida
Me encontro nas teias do sentimento
Meu passado não foi jogado ao vento
Ainda restam fragmentos, brutos ou modificados
Sou aquela que sente saudade dos amigos
Sou quem de você espera um milagre
Sou a mais perfeita sinceridade que seus olhos podem ver
Mas sou sim uma menina!
Sou uma mulher também
De anseios, desejos, amores e mágoas
Sou eu, única e imprevisível aos olhos de quem vê

Lua Azul
Enviado por Lua Azul em 16/11/2006
Código do texto: T293032
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Lua Azul
Salvador - Bahia - Brasil, 29 anos
29 textos (2183 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/12/14 11:40)
Lua Azul



Rádio Poética