Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fantasmas não dão trégua

Este silêncio
(por que se repete do mesmo jeito?)
estaciona no porto de sempre
A hora é urgente
O tempo passa
tudo se (es)vai
na enxurrada sem rumo
O ponto de fusão
ficou aquém do alvo
e o amor continua fera
a estilhaçar o pensamento
com medo da surpresa
Corpos, desejos, sentimentos
interrogam-se à procura de respostas
Fantasmas não dão trégua
seguem seu curso eterno
O balde despejado
profere o reinado do lixo
E tudo volta ao nada...
lilu
Enviado por lilu em 21/11/2006
Código do texto: T297616
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lilu
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil
889 textos (325982 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 08:27)
lilu