Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Orgasmos

Orgasmos
Angélica T. Almstadter
 
Vem como um delírio esse desejo
Essa fome essa falta de beijo
Sob a luz tênue do candeeiro
Embriagar meu corpo seresteiro
 
Cada palmo do corpo que se agita,
É uma saudade que grita,
Uma volúpia doce e desmedida,
Aflita, que busca uma saída.
 
Meu corpo esquecido confessa,
No silêncio da penumbra sem pressa,
A explosão cerrada entre dentes,
Da carne, em apelos frementes.
 
Percebo entre luzes meu cortejo,
Em notas simples do realejo,
 Deixo escapar no grito do espasmo,
O torpor que com delicadeza plasmo.
 
Se encaixa nos meus lábios um nome,
Em alto e bom som se consome,
Devorado no calor da febre mecânica,
Na torrente da lava vulcânica.
 
Um após outro, em torvelinho,
Se perdem no meu corpo em desalinho;
Acalma os frêmitos em doçura,
E repousa na paz da candura.
 
A lacuna aberta, um momento e a loucura,
Pedem silêncio para gritar a jura,
Apertada e contida em segredo,
 Se desfaz em lágrimas e medo.
 
Pode dormir agora ao relento,
Rabiscar em prosas e no vento,
A esperança opaca e quase escondida,
A mesma que se entregou sem medida.
 
Corre pelo corpo em aflição,
O desejo que amou na contramão.
Quantas janelas pode ter um coração?
Se pela porta só passa a razão.
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 30/01/2005
Código do texto: T3001

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 61 anos
1054 textos (55388 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/10/16 09:06)
Angélica Teresa Almstadter