Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quando tudo for silêncio e solidão...

Quando tudo for silêncio
e solidão, 
e nada aplacar os sentimentos,
as forças desencontradas,
aleatórias e furiosas,
um minimo som será um trovão...
A romper, a anúnciar a tempestade,
as torrentes de lágrimas,
olhos, face abaixo,
em copiosas cascatas,
e será uma benção!
A solidão então se encharcara,
a tristeza se afogara nas lágrimas,
e as suas correntezas,
levando embora as incertezas,
será uma benção!
Quando tudo for silêncio,
quando nada nos consolar,
quando nenhuma esperança,
termos no peito,
as lágrimas serão uma benção!
Que lavem então a nossa face,
que encharquem o nosso peito,
que transbordem pela sala,
que invadam a casa adentro,
que rompam porta afora...
Que levem de nós toda a dor e toda a mágoa!
Após toda tempestade não há uma nova aurora?
Tenhamos coragem de vencer as nossas tempestades...
Mesmo aquelas que não sabemos
a hora que passarão... A ir-se embora!

24/11/2006
Edvaldo Rosa
WWW.SACPAIXAO.NET
Edvaldo Rosa
Enviado por Edvaldo Rosa em 24/11/2006
Reeditado em 24/11/2006
Código do texto: T300428
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Edvaldo Rosa www.sacpaixao.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Edvaldo Rosa
São Paulo - São Paulo - Brasil, 55 anos
1727 textos (173761 leituras)
23 áudios (10650 audições)
35 e-livros (8978 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:37)
Edvaldo Rosa

Site do Escritor