Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Adeus Cesariny sem ponto de exclamação

na morte do grande poeta português surrealista


Que diabo chegou o ponto final
Daquela Pena Capital,
De existir em pastelaria

Que se abra a estrada em liberdade
Livre se ame amando ar.
A flor na gaveta dos Prazeres
Se fique guardando
Na tropelia do dizer,
A voz soando vibre.

O epitáfio anónimo
Do individuo universal.

Constantino Mendes Alves
Enviado por Constantino Mendes Alves em 28/11/2006
Reeditado em 28/11/2006
Código do texto: T303421
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Constantino Mendes Alves
Portugal
324 textos (3787 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:44)
Constantino Mendes Alves