Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Penas


Euna Britto de Oliveira
www.euna.com.br



Partilho da tortura
de Anchieta,
Preso entre os índios,
precisando transcender a dura realidade,
recebendo a inspiração
e sem lápis nem papel
para escrever seu poema...

Com estilo próprio,
com improvisado estilete,
ele arranha na areia da praia
um poema à Virgem Maria.
Quinhentos anos depois,
esse poema resiste!...
Êh, Padre Anchieta!
Parece até que eu estava lá!
De vez em quando, um poema me pega
do mesmo jeito: desprevenida,
sem papel, sem lápis, sem pena, sem caneta,
sem alguma coisa que escreva,
sem areia de praia pra extravasar...
E a tábula rasa da memória
não dá conta de registrar...
Euna Britto de Oliveira
Enviado por Euna Britto de Oliveira em 28/11/2006
Código do texto: T303619
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Euna Britto de Oliveira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
995 textos (34688 leituras)
6 áudios (364 audições)
12 e-livros (692 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 02:18)
Euna Britto de Oliveira