Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O CANTO BEM-VINDO DAS ASAS

de manhã,
pássaros ensaiam o primeiro canto.
És sabiá, eu canário
da terra que aqui cantiga,
antiga,
a voar em fuga ao sonho que persigo:
o bater das asas
com desejos de ficar.


entre a sabiá e o canário
há muito pouco espaço e uma gaiola aberta.

Misturamo-nos
com o andar do dia
aos bem-te-vis, aos melros-pintados, aos bicos-de-ferro,
fazendo côcô como a andorinha,
que cagou na cabeça do Vinícius-poeta
por obra e graça minha!


no final da tarde,
a fatalidade retornará aos ninhos.

Entristecemo-nos
com a perspectiva da noite,
mas enquanto as asas do urubu-rei
não descolorir a felicidade do céu, vinda,
preservaremos os beijos de bicos
e a fertilidade dos musgos catados
para sabiazinha-canária,
de olhos amargando os jilós mordidos;
até feliz ao nos ver voltar,
sem ainda saber cantar
toda a liberdade das grades descobertas.

Amanhã,
canário e sabiá,
num rasgo de repente,
abrem-se mais que as portas do céu dos passarinhos:
libertos do canto, esperado, das manhãs.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 03/07/2005
Código do texto: T30530
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19517 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 04:43)
Djalma Filho