Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dom

De vez em quando,
Sinto-me como fada que perdeu o poder,
Esse meu novo poder de escrever!...
Mas quando o exerço,
Nem me lembro quem sou
Ou quem não sou!...

Ser fada às vezes enfada.

Desço ao nível de gente,
Que é sempre mais exigente,
E então vou criar filhos
Arrumar gavetas
Lavar pratos
Cozinhar
Costurar
Dar aula
Emprestar coisas...
Ou então tocar piano
Em semitom e semidom...

Aprendiz de fada...
Dessas que ainda vacilam,
Tropeçam,
E,inseguras,
Seguram-se na certidão-certeza
De não-servidão.
E quando se aprumam e se exprimem,
Têm a estrangeira expressão
De uma simples passageira
Que é deste mundo e não é,
E se faz entender,
Porque língua de fada é antes empática
E só depois telepática!...
Primeiro, é lugar do outro,
Pra depois ligar pra o outro!...

Enquanto não vem a que reduz,
Faz-se a comunicação como se fez a luz!

Canais abertos
Queluz
Vaduz
Corridas de avestruz...
Tudo num passe de mágica,
Hemorrágica sangria nos deuses
Que precisam doar sangue,
Porque já começaram,
E não podem parar!
Nós é que ficamos anêmicas
Por não os procurar!...

Ah! Visão de gente abafada,
Princípio de fada inacabada...

Ontem, um morcego rodou muito minha janela!...
Será mau agouro?...
Euna Britto de Oliveira
Enviado por Euna Britto de Oliveira em 01/12/2006
Código do texto: T306335
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Euna Britto de Oliveira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
995 textos (34673 leituras)
6 áudios (364 audições)
12 e-livros (692 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 06:23)
Euna Britto de Oliveira