Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

EL PECADO ORIGINAL (español y portugu&eacut


Me incinero en mil soles
cuando arrojado salgo
al laberinto vano de almas sin encuentro.
Más allá, el horizonte,
sin perfilarse, arriesga su permanencia.
No obstante, mi lágrima
me dice que alguna vez sentí
a este ser humano que hoy rodea
mi existencia.
Desoigo las voces absurdas
que quieren detenerme y anularme.
Vibro en mil corazones,
en millones de gargantas que no gritan,
en aquelarres de angustias cotidianas
que vanamente buscan la descarga.
¡Estamos todos bajo el cielo
sin levantar la vista para verlo!...
!Nuestra brasa vital
podría encontrar la eternidad en ese gesto!
Nuestro presente,
hecho de pies apurados,
de manos hurgando en los bolsillos,
de no saber quién tengo al lado,
pierde la eternidad a cada instante.



(Versão em português: Jane Botti)

O PECADO ORIGINAL

Incinero-me em mil sóis
quando intrépido saio
para o labirinto vão de almas sem encontro.
Além, o horizonte,
Sem se perfilar, arrisca a sua permanência.
Contudo, a minha lágrima
me diz que algum dia senti
este ser humano que hoje rodeia
a minha existência.
Desouço as vozes absurdas
que querem me deter e anular.
Vibro em mil corações,
em milhões de gargantas que não gritam,
em ruídos e confusões de angustias cotidianas
que em vão buscam a descarga.
Estamos todos sob o céu
sem levantar a vista para vê-lo!...
Nossa brasa vital
poderia encontrar a eternidade nesse gesto!
Nosso presente,
feito de pés apressados,
de mãos remexendo os bolsos,
de não saber quem tenho a meu lado,
perde a eternidade a cada instante.
Alberto Peyrano
Enviado por Alberto Peyrano em 31/01/2005
Reeditado em 31/01/2005
Código do texto: T3068
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alberto Peyrano
Argentina
14 textos (871 leituras)
2 e-livros (157 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:54)
Alberto Peyrano