Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CINZAS DO POETA


A vida tornou-se maçante.
Os sonhos não aconteceram.
O coração desistiu do amor.
Os últimos sentimentos
Escorreram pela alma
Imitando o desaguar
Das últimas lagrimas,
Minhas cinzas desenganadas,
Foram jogadas ao vento
E o pranto rendeu-se ao mar.
A canção fora interrompida.
Fez-se enfim, o silêncio fúnebre,
Subtraindo a voz do poeta;
Abandonando a massa flácida
E libertando a cansada aura.
Paulo Izael
Enviado por Paulo Izael em 07/07/2005
Código do texto: T31868
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Izael
São Paulo - São Paulo - Brasil
206 textos (27423 leituras)
1 áudios (171 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 16:09)
Paulo Izael

Site do Escritor