Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FRANGO DE PADARIA

Passava todos os dias
em frente à padaria,
babava-me ao vê-la tostadinha
abatida, mortinha e exposta
a imóvel avezinha.

Passava todos os dias
em frente à padaria,
incomodava-me vê-la mortinha
naquela estranha posição
de avezinha imóvel.

Até as pedras têm cheiro
quando tropeçam nos pés dos amantes,
aí, toparemos na sensação dos namorados
e com a fome que ronca incontrolável
no coração do estômago
a avezinha na padaria
nos flerta. Cheira!

O salário de mês acabou
sem nunca ter perguntado
o quão barato custava
o franguinho da padaria.

Envergonhada, a namorada esfomeada,
tonta e atordoada com o carinho das pedras,
preparou um arroz soltinho e uma farofa amanteigada
e pediu-me para que comprasse aquele frango baratinho.

O franguinho da padaria vestiu nosso amor cheio de fome
e acomodou-se, quentinho, no coração e no estômago
até deixar leso o sono e nossos corpos juntinhos.

No dia seguinte, em frente à padaria,
não senti mais o cheiro da avezinha imóvel!
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 10/07/2005
Código do texto: T32647
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19522 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:36)
Djalma Filho