Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CANÇÕES DO CHÃO**

cato cacos de vida,
palavras preciosas
no chão da literatura

cato cacos humanos
e pessoas sem risos
no chão da vida

cato lírios no asfalto
e sons de aquários
no ácido da cidade

canto canções cegas
de bocas banguelas
e gritos aflitos

faço literatura de feira,
poética torta,
sem eira nem beira

canto, analfabeto,
a literatura barata,
bárbara e esquálida

trago no peito
o som preto dos becos
e a pele vermelha dos índios

sou pouco, mas sou farto,
recolho, reciclo e espalho
revolta e revôo de pássaros.


cp-araujo@uol.com.br
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 12/07/2005
Reeditado em 21/10/2006
Código do texto: T33447

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32936 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 20:48)