Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AIS

AIS


Há,
Nos vitrais
Do pensamento,
Imagens coloridas,
Corroídas
Muitas vezes pelo tempo...


Sinais que não invento
Na história
Que marca a memória
Dos sentidos


Mastros de Orgulho,
Tribais,
Como o entulho
Que embrulho
Na indiferença
Do silêncio povoado


Castiçais
Que não acendo
No altar do inimigo...
Não me vendo

Aprendo
Sempre aprendo
Nas barbas a arder
De qualquer perigo!
Qualquer abraço
Pode ser fatal!
Não me exijam
Saltos mortais
Às vezes são demais
As teias a que me prendo...

Descendo
Mais um patamar
Do emaranhado de sinais
Que não entendo...

Descrendo
Das podres virtudes
De todos os tribunais...
Tribais
Virtuais
Patriarcais
Constitucionais
E outros palavrões
que tais...

Vou crescendo
Como crescem
Quase todos os mortais
Vivendo
Vivendo
Vivendo
Nunca é demais!
ressoa
Enviado por ressoa em 13/07/2005
Código do texto: T33705
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ressoa
Portugal, 67 anos
72 textos (1880 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:35)
ressoa