Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEUS SAPATOS ROTOS**

Quem sabe dos meus pés
são meus sapatos rotos
e minhas meias furadas.

Quem sabe o caminho
são minhas pernas cansadas
e a própria estrada.

Não ouço papo de aranha.
Ninguém indica o bom.
Quem sabe o esconde pra si.

Ninguém fará por mim.
Quem tentou fracassou,
quis voar com minhas asas.

Ninguém decide por todos.
Não delego a minha parte.
Erro sozinho e em paz.

Ninguém leva meu voto
pra soberano, mandatário.
Sou eu meu próprio rei.

Tenho dito e acredito:
Sou minha própria diretriz.
Pés do chão e deus no alto.


co-araujo@uol.com.br
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 13/07/2005
Reeditado em 21/10/2006
Código do texto: T33912

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32929 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 06:34)