Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DO PASSAR DOS DIAS, DO PASSAR DAS HORAS

DO PASSAR DOS DIAS, DO PASSAR DAS HORAS
                      Chico Steffanello

Que dia este que não sei se passa
Ou se passou?...

Quente!
Isto sim, muito quente.

Erro a rua.
Erro o bairro: meia volta...
Onde era mesmo?

Esqueci a agenda.
Esqueci a hora,
Marquei hora?

A tarde é chumbo.
É fumaça:
Morre o Sol.

Paro, compro coisas:
Um pão,
Um vinho...

Quero um rumo:
Vejo a porta,
Vejo a rua.

Venta Norte,
Venta forte:
Chove...

Rodam
Rodas:
Carrossel...

Rodo ruas,
Rodo carros:
Lodo.

Bato a porta,
Bato a água
E os pés no chão

Venta Norte,
Venta forte:
Escuridão...

Dia quente
Casa quente
Ar quente

Quero um banho
Quero água
Quero luz

Que dia é esse que não passa:
Sufoca!

Oprime...
Isto sim, oprime!

Tateio,
Tonteio,
Solto a água

Bate fria
Nas têmporas quentes:
Vertigem, rodopio

Vórtice escuro,
Silenciosos
Caminhos etéreos

Passeio entre árvores,
Deito-me para descansar:
Lugar familiar.

Lugar para ficar,
Lugar para te encontrar,
Lugar sereno.

O que dissestes?
Tomo a tua mão e levanto-me...
De onde?

O chão sólido é frio,
Segura o peso do meu rosto,
A luz voltou.

Levanto-me,
Abro todas as janelas
Para a noite molhada

Acendo todas as luzes,
Ligo o ar,
Mantenho o silêncio.

Ouço a rua,
Seus carros poucos,
Seu vento e chuva poucos.

Cubro o corpo
A olhar para os olhos fundos,
Discreta marca no rosto sem sorriso.

Busco gelo,
Descubro o Chiantti gelado de ontem,
Encho a taça comprida até em cima.

O gelo derrete fácil sobre a mágoa vermelha
E o aroma do vinho fecha-me os olhos
Para sorve-lo até o fim.

O sacrilégio refresca o meu peito por dentro
E o sangue retoma o seu fluxo
Pelo corpo sentado, relaxado, estatelado

Busco Vivaldi na ponta do dedo
E seus violinos mágicos
Enchem a casa como o vento...

Deixo-me levar por aqueles caminhos
E pelo afago dos teus dedos nos meus cabelos:
O mar vem à superfície e deságua...

De olhos fechados vejo melhor...
Eu sei, meu amor, eu sei que a vida continua...nua...
Nua...nua...nua...imensa e crua
Sem a presença tua.

Chico Steffanello
Enviado por Chico Steffanello em 05/02/2005
Código do texto: T3530

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chico Steffanello
Sinop - Mato Grosso - Brasil, 58 anos
246 textos (30635 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/09/16 09:08)
Chico Steffanello