Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0001 - Alma e corpo



Meu corpo mistura-se à solidão,
os escuros aos olhos de Deus,
enquanto minh'alma vai da carne.

Às vezes, perco a voz,
esqueço os gestos mais simples,
meus pensamentos voam até o infinito.

Tento caminhar, apesar do meu tédio,
sinto as mãos trêmulas, os pés alquebrados,
meus ossos parecem moídos dentro da pele.

Olho o céu... nem hipoteticamente vejo meu Deus,
o silêncio não me ensinou, perdi a crença,
careço de tudo, apenas careço, careço...

Meu cansaço é de compreender meu corpo,
tenho sentimentos perdidos em outra alma,
quando houver sol, haverá luz... voltarei à vida.

Esqueça meu corpo, quero a cura d'alma fria,
deixe-a sentir a mão quente do querer,
um olhar, talvez apenas um toque de calor.

Preciso do fogo de Deus queimando no peito,
da sabedoria, dos ensinamentos dos livros,
quando conseguir escrever sobre água, estarei salvo.

Que minh'alma salve meu corpo pecador de você,
já não quero compreender meu jeito de querer,
espero voltar a sonhar, um dia, um Deus, um amor.

Nos meus dias, jamais usarei a morte como desculpa,
mostrar-me-ei os sentidos e os sentimentos da vida,
importante é meu corpo, irmão, pai e cria da minh'alma.

05/10/2004
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 07/02/2005
Código do texto: T3682
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116061 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/16 08:56)
Caio Lucas