Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

temporais de solidão


Hoje me sinto só
Só como um marinheiro
Que naufraga...
Nas águas revoltas do mar.
Gritando socorro, para o nada.
Mas ninguém ouve, ele está só.
Em meio, um terrível temporal.
Que balança, e leva seu corpo.
Em direções desconhecidas
De repente, seu corpo dormente.
Deixa-se levar, sem forças para lutar.
Não é mais ele, é o destino.
Que o impede, de lutar pela vida.
Contra as correntes das águas.
O temporal acaba, ele está só.
Esperando alguém, ir buscá-lo.
Para que não fique perdido.
Em meio ás águas revoltas do mar.
Talvez eu seja este marinheiro.
Perdido nos temporais, de solidões.
Esperando que alguém apareça.
Para que eu possa, de novo sorrir.

                    Volnei R. Braga
Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 27/07/2005
Código do texto: T38009
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147455 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 11:55)
Volnei Rijo Braga