Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DUAS LÁGRIMAS


Sentindo nas frias mãos o seu afago
E nos seus olhos o desespero estampado
Gritando: - "Sou teu não me renegues,
Porque dentro de mim a tua imagem eu trago".

Ela, mortal despreparada e assustada,
Com tanto amor que buscava asilo,
De um ser que se sentia intranqüilo,
Prevendo que de si seria afastada

Aquela que tanto carinho lhe dera,
Mas que, "eu te amo" nunca dissera.
E agora o condenava ao triste exílio
Em frio canil onde baixando os cílios

Deixou rolar duas lágrimas caninas
Como se fossem estrelas pequeninas,
Símbolo de sincero amor e fidelidade
De um cão pela humanidade...

29/06/03.
Maria Hilda de Jesus Alão
Enviado por Maria Hilda de Jesus Alão em 28/07/2005
Código do texto: T38297

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Hilda de Jesus Alão
Santos - São Paulo - Brasil
848 textos (343079 leituras)
19 áudios (10579 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 20:05)
Maria Hilda de Jesus Alão