Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A ILHA DE TODAS AS CONCHAS

do outro lado da baía
há um sol
indiferente
aos raios brilhosos da língua
no céu-da-boca amarelado
pelo caldo de sururú ou lambreta.

O samba é de roda,
o bê é maiúsculo;
no sobe-e-desce das ladeiras,
há a paz calma dos molejos
dos rabos-de-olho às bundas indisfarçáveis.

do outro lado da baía
há a ilha
indiferente
às terras agarradas aos continentes,
há um peito aberto ao mar, com  ares nus,
levando em si sudoestes, saveiros e jangadas.

O fá, aqui, é de farinha,
a fé, aqui, descarrega os ateus
na língua do pê com samba no pé,
no sobe-e-desce torto das procissões
há uma escadaria de perfume pós-lavagens,
um padê-de-Exú abrindo caminhos a  todos santos-erês!

No outro lado da Bahia
haverá sempre uma baiana
justificando o silencio das estrelas
impiscáveis neste céu de fim-de-mundo.

Toda menina daqui
tem um cheiro igual ao de Deus,
que os Orixás espalharam
pelos quatro cantos da Bahia
- com bê grande ou bê pequeno –
com cheiro de vida inteira,
onde a mistura da mulher amada fez a morada
dos segredos ao desapressado homem quieto
como as conchas guardadas pelo mar!...
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 30/07/2005
Código do texto: T38798
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19521 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:36)
Djalma Filho