Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0016 - Louco



Desculpe se voltei da metade do caminho,
não me arrependo, estou confuso,
algumas palavras soam como gritos,
meus sentimentos continuam os mesmos.

Ainda não sei como vou estar amanhã,
é previsível este tempo de solidão,
posso sentir tudo como antes,
não sou como o vento que passa... sou amante.

Perdi meu jeito confiante, perdi o beijo,
larguei partes de tudo noutro corpo,
os desejos trouxe-os de volta, agora parecem mortos,
queria saber me explicar, a loucura não deixa.

Sou só eu a sentir amor, somente eu, e o seu?
Já não consigo mais me emocionar,
as palavras estão cada dia mais frias,
eu sim, falei de amor, todos os dias, todos os abraços.

Não quero perguntar se me ama,
espero que leia em meus olhos,
fixo meus pensamentos, falo do carinho,
não ouço sua voz, apenas está por perto.

Desculpe se sou louco por você,
insuportável, mas ainda assim insisto,
amar você é importante, saber ser amado, mais,
se não quiser não me ame, se não... sei lá...

Estou pronto a me sentir somente seu,
os braços estão à espera do seu corpo,
sou um louco, descontrolado, me fez assim,
seu amor, a paixão, tudo que não ouvi dizer.

Quero um dia lembrar de tudo, se ainda viver,
deixo que o tempo me consuma aos poucos,
já não sei mais pensar, em tudo tem você,
se um dia o soluço sair da garganta, vai passar.

Desculpe se ainda insisto em falar de amor,
entreguei minha alma e junto o amor,
meus dias de loucuras roubaram tudo do meu futuro,
sou louco, sou amor, sou nada... ainda sou seu.

23/10/2004
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 10/02/2005
Código do texto: T3900
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116066 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 29/09/16 08:50)
Caio Lucas