Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0018 - Mar... eu e você



Quando você for lua, quero ser o espelho dos seus brilhos;
no amanhecer, quando for sol, serei seu horizonte;
preciso do seu rosto entre minhas mãos,
a boca com gosto de beijo, a língua molhada da sua saliva,
enquanto a tarde desliza até que desapareça na noite.

Posso ser onda, água, areia, sal...
Sou mar por onde seu corpo navega,
o suor que brota entre milhares de desejos e loucuras,
tenho ondas revoltas quando tenho seu abraço;
sou areia, quando meus olhos não lhe encontram.

Quando sonho, às vezes, sou tempestade,
até sentir seu corpo arrepiar com meu carinho,
sou água, calma, terna, massageando devagar,
até que seus olhos brilhem de tesão,
quando, em um vai-e-vem, fazemos amor.

Seja então o mar, para que eu navegue sobre seu corpo,
visitarei suas dobras, seus segredos, suas curvas,
vou deslizar por sua pele, surfar em seus líquidos,
espalhar suores até que que nossos cheiros se misturem,
excitaremos com o perfume do sexo, até que lhe tomo inteira.

23/10/2004
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 10/02/2005
Código do texto: T3902
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116244 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:37)
Caio Lucas