Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SINTONIA

Sempre que viro a página
Algum coisa me vem do passado
Algumas lágrimas, ares sedentos
Do lamento que guardo e trago

De página em página em elevo
Crivam-se pontas tardias
De feitos não terminados
E o por fazer sem ser aflito

Destes baús contínuos
Vontades bipartidas aladas
Só, na solidão calada
E meu peito fechado e tenso

Olho de novo ao espelho
Dos cabelos que se grisalham
Tempos passados, nem sempre perdidos
Das coisas que foram e que faltaram

Mas busco na alegria íntima
Renascer em nova nau escura
Por todo mar que se aproxima
Cores, tons, desejos, aventura

O coração ilhado entres flores
Nesse Jardim que tenho em Porto seguro
Primazia de amores que aventuro
E lamentos para quem pensa em dores

O fino refletir do Sol de agora
Traz uma nova canção no ar
A próxima rua para atravessar
Um encontro e o beijo que demora

Trago no coração ainda, o bom da vida e a felicidade como
companheira!

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 02/08/2005
Código do texto: T39563
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120252 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 08:03)
Peixão