Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0022 - Amante minha



Importa-me se me faltar um dia,
nenhum homem tem amor igual ao meu,
noutro corpo não encontrarei o prazer total,
sou injusto, às vezes, mas te peço mais e mais.

Nada vale se o amor não é o principal sentimento,
nenhuma amante é como a que te dá carinho,
nenhum amante é igual ao que te toca o corpo
antes o coração... na mais simples forma de amar.

Sonhe com todos os desejos que possas querer,
não existe renúncia escrita na minha história,
de nada serve sonhos se não realizá-los,
ao menos tente, te dou a mão e os motivos certos.

Agora sim... amante minha, fez deserto das solidões,
não sou a palavra certa, mas o beijo,
não sou o caminho para seguir de olhos fechados,
mas o brilho que leva a luz para tua alma.

Para mim, não quero nada além de carinhos,
deixe que apague nossas histórias do passado,
não deixe que volte, nem ao menos lembre,
cuide dos sentimentos para que continuem puros.

Oferto-te tudo, todos os sonhos, agora minhas verdades,
para mim tudo começa a partir do teu primeiro sim,
nada vai mudar enquanto continuarmos a nos proteger,
segure minha mão na tua, amante, não quero ser livre.

Importo-me se faltarem teus beijos, teu corpo,
me matarás se levar embora o amor que me destes,
nada vai mudar, tudo volta a ser dia, tudo volta a ser noite,
não podemos voltar a ser solidão, não agora...

24/10/2004
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 12/02/2005
Código do texto: T4044
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116240 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:13)
Caio Lucas