Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Despindo-me

Experimento a vida, olhos despertos
Na penumbra da palavra inominável
É parte do meu caminho também
Os verbos que não sei conjugar
As sílabas que tropeçam
Na pronúncia dos meus lábios
Pertence-me o instante ínfimo
Em que me oferto a intimidade
De compreender-me em desordem
Na escuridão que me impõe a luz

São meus os livros de histórias
Que nunca consegui escrever
O cicio de letras que jamais alinhei
E que me falam no arfar silencioso
Da página que me acena despedidas
São meus os diálogos inaudíveis
Quando me pronuncio em meu espelho
E as máscaras das minhas ilusões
Refletem-me em lágrimas
E mesmo assim não me perco do sonho
Permanece o urdir cotidiano da emoção
Tecendo os fios do meu olhar
Com cores melodiosas e de avalanches

É apenas minha a voragem do mergulho
O deambular indelével pela paisagem
Do desejo intocado, não dito
As marcas invisíveis, os delírios
O assombro do descobrir-me
Sabem-me apenas os meus silêncios
As vezes em que fugi
E sumi de mim mesma
O amaro e o doce do que não revelo
É somente minha e tão só minha
A febre imensa que lateja
Nas mãos que me ardem
Em versos, chagas, precipícios,
Suspiros, abismos e entrelinhas...
 

 
Fernanda Guimarães
www.fernandaguimaraes.com.br

Fernanda Guimarães
Enviado por Fernanda Guimarães em 06/08/2005
Reeditado em 25/08/2008
Código do texto: T40750

Áudio
Despindo-me - Fernanda Guimarães
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fernanda Guimarães
Fortaleza - Ceará - Brasil
430 textos (64374 leituras)
9 áudios (1782 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 00:20)
Fernanda Guimarães