Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Boemia

Das pequenas certezas que tenho na vida
uma delas é que a boemia ainda vai me matar um dia
Essa maldita boemia!
Vadia que me seduz
e tira-me o sono
e rouba-me o prazer de sentir o frio
dessas belas manhãs de inverno
Ah! A Boemia!
Essa dama de lábio quentes
e mãos suaves
que me conduz por ruas escuras
de bar em bar
Essa velha carcamana
que faz minha cabeça doer
às nove horas da manhã de uma quarta-feira
ou de uma segunda de sol ardente
 A Boemia...
Aquela a quem sigo como devota e amante eterna
Aquela que me ludibria
 e me liberta das mazelas de uma vida programada
Ah! Essa Boemia!
Amiga minha desde os tempos de escola
Companheira das noites longas de insônia
Seu coração a muitos homens pertencem
Meu espírito corre leve
por entres dedos longos
Ah! A Boemia...
Essa  que corrompe minha alma e minha carne
Quem dera libertar-me das amarras de teus braços!
Mas contigo quero viver e morrer assim,
sedenta por mais um pouco do vinho
que teus lábios libidinosos têm a me oferecer
Ah! Essa Boemia...
Monica Ash
Enviado por Monica Ash em 09/08/2005
Reeditado em 10/07/2014
Código do texto: T41499
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Monica Ash
Passos - Minas Gerais - Brasil, 30 anos
26 textos (2040 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 11:50)
Monica Ash