Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


CORTES 

Andei cortando caminhos
entre as vontades e a alma.
Os caminhos assim cortados
não me saciaram desejos
e ainda tiraram-me a calma.
Andei cortando caminhos
entre o que sou e o desejo
daquela que não sabia ser.
Os caminhos assim forjados
cortaram-me fundo a carne
e eu não aprendi a viver.
Andei cortando caminhos
entre meu amor e o outro.
Os atalhos assim traçados
destroçaram o meu amor
e o que restou foi tão pouco.
Andei cortando caminhos
entre o saber e o conhecimento.
Os caminhos que aprendi,
cortando assim apressada,
não me ganharam tempo
e não me ensinaram nada.
Cortei tantos caminhos,
construí tantos atalhos,
saí tanto da estrada,
fabriquei tanto desvio,
que o resultado foi nada.
Guardei as minhas facas,
aposentei minhas foices,
não consulto mais os mapas,
e o que passou, foi-se.
Em minhas entradas e saídas,
um único aviso existe,
como um guia para a vida -
"Atalhos, desvios, picadas,
me esqueçam. Cortei relações.
Vou pra estrada."


Débora Denadai
Enviado por Débora Denadai em 10/08/2005
Código do texto: T41751

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Débora Denadai
Caracas - Distrito Federal - Venezuela, 54 anos
722 textos (154036 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 01:43)
Débora Denadai

Site do Escritor