Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quase Soneto
Rosa Pena


Hoje queria fazer um soneto,
sem grandes melancolias,
falar apenas desse amor que se adia,
mas nada veio... tudo preto.

Busquei Andrade, Bandeira
pra encontrar maneira...
Li Moacir et Selena
para descobrir que a vida não é pequena.

Reli Camões, cheia de ilusões,
só consegui rimar com corações.
Mendes, Moraes, Quintana
buscava de forma insana!

Não precisava ser soneto organizado
bastava ter meu amor alimentado
mas nada apareceu...
acredito que nem eu.

Pensei em falar disparates
de chuvas a chocolates
talvez de sentimentos nobres,
quem sabe assim me descobres.

Queria falar de ti
dos sentimentos que me consomem
de tudo que este amor irradia
percebo a hora tardia.

Nada veio, apenas percebi neste quase soneto
que fiz de minha vida um coreto,
Com o coração sustentado
por um amor... amor por mim inventado.

2003
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 01/12/2004
Reeditado em 31/10/2008
Código do texto: T420
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2004. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Áudio
Quase Soneto - Rosa Pena
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Rosa Pena
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
954 textos (1390144 leituras)
48 áudios (24755 audições)
33 e-livros (28799 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/09/16 22:44)
Rosa Pena

Site do Escritor