Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AGORA SEI



Quando era puto
Meio palmo de gente
Falava grosso pr’armar em  homem
E gritava: Eu é que sei, Eu é que sei, Eu é que sei

Era o princípio do início do tempo

Mas quando me tornei maior
Eu dizia: Eu sei… Calem-se
Desta vez eu sei

Hoje em dia
Tentando retornar
Olho atento a natureza
Como fazem todos os tolos
E não sei como poder voltar

Aos vinte e cinco anos eu sabia tudo
Dos sonhos, da vida, das rosas, do amor
Do amor… sobretudo…
Mas nem uma volta dera

Desgraçadamente era um anão
Não tinha comido todo o pão
No meio da vida ainda aprendi

O que aprendi? Pouco mais que três palavras
No dia em que és amado
Isso é tão bom
Melhor não sei dizer
Mas é tão bom

E agora aconteceu na minha vida
Agora no Outono da minha vida
Esqueço as noites de aventura
Mas jamais as manhãs de ternura

Toda a juventude disse que sabia
Quanto mais procurava
Menos aprendia
No relógio as horas continuam a passar
Olho a terra da vidraça
E continuo a perguntar…

Agora eu sei
Eu sei que jamais saberei

A vida, o dinheiro, o amor, as rosas…
Coisas que jamais saberei, nem a cor das coisas
É tudo aquilo que sei
Mas muito tarde sei

2002/07/17
Ressoa

*Versão livre de Maintenant je sais. Canção de Jean Gabin
Direitos reservados João Moutinho Sócio da SPA - Sociedade Portuguesa de Autores
ressoa
Enviado por ressoa em 17/08/2005
Código do texto: T43174
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ressoa
Portugal, 67 anos
72 textos (1879 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 16:37)
ressoa