Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CALOU-SE O FOGO

José António Gonçalves

calou-se o fogo dos canhões da noite
chegada a última pólvora pirotécnica ao colo
das nuvens brancas como as asas celestiais
onde descansam os anjos das suas longas
jornadas terrenas

não há mais foguetes colorindo o tecto da cidade
nem se escutam os estrondos da trovoada humana
e o silêncio é enganador em todo o lado onde alguém
ainda se mexe em direcção às pedras gastas
que alimentam de polimento
as curvas velhas dos caminhos

o fogo calou-se e o povo regressa a casa
deixando para trás a esperança e a saudade
de uma lágrima ainda não chorada
ignorando o trémulo movimento de uma asa
que ainda ficou no lugar escondida nas sombras
desconhecidas
da calçada

de repente todos os homens olham-se perdidos
no escuro
rodeados pelo dever de estar de pé
cada vez mais sozinhos
procurando outros sonhos outras terras outros lares
onde jamais se sintam
vencidos


José António Gonçalves
(inédito.1.6.04)

JAG
http://members.netmadeira.com/jagoncalves/
JAG
Enviado por JAG em 21/08/2005
Código do texto: T44197
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JAG
Portugal, 62 anos
117 textos (41779 leituras)
4 áudios (187 audições)
1 e-livros (28 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:10)
JAG