Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0059 - Monólogos de solidão



Estou a ler nas suas poucas letras,
meu amor está cego, desvairado por sua culpa,
não sei se lhe escrevo ou lhe espero voltar.

Esqueci todas as letras de nossas músicas,
queria ouvi-la cantar... um dia destes,
talvez meus ouvidos voltem a ouvir falar de amor.

Preciso ser seu espectador, o freqüentador da sua cama,
quero ser o mocinho do filme, o dono do salão,
quem sabe um dia ganhe até seu coração?

Talvez um dia aprenda a língua dos amantes,
contarei da paixão que atormenta, não machuca,
sinto é falta de pegar na mão, beijar sua boca, isto dói...

Odeio quando a lembrança mistura a saudade,
sei que a amo, ao mesmo tempo a odeio,
não tenho como explicar, vem, aqui sei lhe dar e me dar.

Quando a música voltar a tocar, quando você me escutar,
quando as bocas grudarem no beijo maluco,
adoro você, me adora... eu sei, preciso só lhe encontrar.

24/11/2004
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 15/02/2005
Código do texto: T4475
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116250 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 06:17)
Caio Lucas