Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DOLÊNCIA AO SOL DA MANHÃ

Luze o anonimato em claridade.
Primor para o poema,
é indolente o pensamento,
perscrutando o ócio.
Sarandeia a ama das ausências.

O derramar do óleo sobre a pele,
erótica fricção afaga o soluço.
Sorvo água-de-coco,
o beijo estala no canudinho.

Num aceno de véspera,
o sotaque turista açula a excitação.
E cochicha o pensamento.

– Do livro BULA DE REMÉDIO, 2005/2009.
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/44828
Joaquim Moncks
Enviado por Joaquim Moncks em 24/08/2005
Reeditado em 27/09/2009
Código do texto: T44828
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Joaquim Moncks). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joaquim Moncks
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
2581 textos (709725 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 16:39)
Joaquim Moncks