Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ADVENTO

Quando chegardes
Não precisas baterdes à minha porta:
Toma na tua mão a maçaneta
Abra e entre.
Respire o ar de saudade
Que habita cada vão da velha hospedaria.
Sente-se por uns instantes
Ao meu lado, silenciosamente...
Quando chegardes
Não precisas nem mesmo me saudar:
Toma nos teus lábios o meu silêncio
E ria do meu pranto de ventura
E aperte-me junto ao teu peito
Com a nostalgia daqueles
Que se permitiram
Envelhecer.
E quando então chegardes
Eu haverei de sepultar as minhas dores
Com a mesma esperança que habita nas crianças
Que esperam da noite apenas o advento de um novo dia.
E chorarei as minhas últimas lágrimas
(aquelas que eu guardei somente para esse dia)
E antes que a noite e o frio
Novamente caiam sobre nós
Eu terei sido feliz.
Bem feliz.
Marcos Aurelio Paiva
Enviado por Marcos Aurelio Paiva em 25/08/2005
Código do texto: T44932
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcos Aurelio Paiva
Reino Unido, 42 anos
32 textos (1952 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 20:06)
Marcos Aurelio Paiva