Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Observadora De Mim

Enxergar meu lado avesso.

Rebuscar, com os olhos da lembrança,

Meus momentos.

Com meu silêncio, as respostas...

Apostas, jogadas ao vento!

O meu sempre sentimento.

Envolto em brumas.

Em efêmeros sonhos,

Feitos de orvalho.

Que caem molhando, meu agreste viver.

Mais, minha caatinga fica verdejante.

Pois meu  seco é terra fértil,

E basta a esperança,me banhar com orvalho,

Brota o verde almejado.

Olho para meu pasSado, melancólica.

Não com saudades.

Vontade talvez, de resgate.

Sorrio para meu futuro.

Pois,no floreScer do meu momento.

Respiro o oxigênio que Deus me deu.

Aqueço meu rosto,com esse sol lindo,

E vislumbro tantas Cláudias.

Vivas, mortas, débeis e insanas,

Sedutoras, misteriosas...

Calma como as brumas,

Violenta, como as tempestades de verão.

SaceRdotisa dos meus próprios delírios.

Senhora da minha vida.

Espectadora e atriz atuante,

Do meu viver.
Observadora
Enviado por Observadora em 25/08/2005
Reeditado em 25/08/2006
Código do texto: T45075
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Observadora
Salvador - Bahia - Brasil, 50 anos
487 textos (27392 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 14:21)
Observadora