Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desengano

Desengano
maria da graça almeida


Ai, longe vai o ido ontem,

eu, sensível, pequenina,

diferente das meninas

ressequidas do lugar.

Ai, meu passado sem mar,

rio, riacho, corredeira...

Em meu mundo de certezas,

sobre mim enorme o teto

e bem ao lado, sem beleza,

terra, pedra e poeira.


De nascença a goteira

a pingar melancolia

era a lágrima a molhar

a ausência da alegria.

Ai, minha gota a ensopar

o sentir que em mim sofria!

Ai, o meu sal a temperar

uma infante nostalgia,


Vai distante a infância

e a tola esperança

que o homem amigo-irmão

dividisse a água, o pão.

Meu passado era sem mar,

rio, riacho, corredeira...

só as dores bem regadas

inda hoje trago inteiras...














maria da graça almeida
Enviado por maria da graça almeida em 17/02/2005
Código do texto: T4631
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
maria da graça almeida
São Paulo - São Paulo - Brasil
248 textos (14806 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 22:43)
maria da graça almeida