Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Deserção

Hoje permite-me desertar
Manter as mãos suspensas
Sufocando as minhas dores
Aceita a minha omissão
Não me faças quaisquer perguntas
Nem as que tanto queres
Quando sou teu silêncio e estranheza

Não me peças que revele os versos
Que escrevi em tua ausência
Quando minhas mãos te esculpiram
Cúmplices do desvario de alguma saudade
Não ampares o meu dissabor
Nem cales o vento inclemente que me sibila
Acenando-me inquietudes e senões

Hoje não me fales das tuas ternuras
Nem da mansuetude dos teus olhares
Que são cores para meus olhos
Consente o meu breve abandono
Emudece o ardor do teu tato
Que te rouba carícias
Para tatuar a minha pele

Não acalentes a minha lágrima
É momento da tristeza rebelar-se
Esvaziando-me a calma, o sonho
Não me inquiras sobre as promessas
Nem sobre as juras que te fiz
Deixa-me ser arrimo da solidão
Colo da minha própria orfandade

 

Fernanda Guimarães


Visite "De Amores e Saudades - Fernanda Guimarães":
www.fernandaguimaraes.com.br
Fernanda Guimarães
Enviado por Fernanda Guimarães em 18/02/2005
Reeditado em 25/08/2008
Código do texto: T4632
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fernanda Guimarães
Fortaleza - Ceará - Brasil
430 textos (64243 leituras)
9 áudios (1778 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/16 12:22)
Fernanda Guimarães