Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANTAGÔNICO!

Um rufar que passa lucente
Trombetas de dentro se expõe
Largo de um brilho, este olhar
Consumindo-se entre farta espera
Sem ter o deleite desejado
Aperta o imenso pesar do desejo
Ávido, lépido, afeito ao dia
Na onda que burla a maré
O trôpego coração ressoa
Mas não escutas o meu gritar
Que contundente expia Lua e estrelas
Vagando nesse circular desejo
Enquanto bons ventos não me tocam
De velas plenas até este Porto
Divago sobre teus infindos sabores
Atônito pela sua premente volúpia
Imerso em minhas duras premências
Da letra que buscas, quimeras
Entre castelos um friso no ar
Minha boca seca com tua ausência.

Na imensidão do mar sem poder tomar de tua água!

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 30/08/2005
Código do texto: T46343
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120249 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 02:54)
Peixão