Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema 0065 - Amor, até depois...



Deitado no meu leito morre o amor,
faz sombras entre os amantes,
um pouco antes éramos paixão,
é noite...

No epitáfio ficaram as promessas,
semeiam dúvidas, milhares delas,
distribuíram perguntas no seu funeral,
até pensam que jamais voltará.

As rimas saem da boca para lembrança,
nenhuma palavra a mais vai ser ouvida,
das almas correm lágrimas,
nos falsos sorrisos se escondem soluços.

Prefiro que não volte,
se não amar, que morra,
encerre-o entre sua pele quente,
se não esfriar, talvez, só talvez, esperança.

Beijo seu rosto ainda na madrugada e vou,
farei festas para disfarçar minha decepção,
levarei você em cada pedaço após minha morte,
amor, até depois...

04/12/2004
Caio Lucas
Enviado por Caio Lucas em 18/02/2005
Código do texto: T4683
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Caio Lucas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 68 anos
4429 textos (116065 leituras)
1 e-livros (166 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/16 22:36)
Caio Lucas