Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cerebrastémico

 
 
Aquele que, inócuo, ousar,
Torneá-la por prazer,
Maleá-la nos seus dedos
- Até a alma lhe tolher! -
Levando-a aos degredos
Frios e abismais do vagar;
 
Aquele que a prescreveu,
Ou reduziu-a ao nada,
Criando um mofino orto
- Frases bafias, descarnadas... -
Num canto acendrado e morto,
Um hino de escravo ateu;
 
Aquele que desafiou
O poder da Gravidade,
E em grilhões a envolveu,
Sem qualquer salubridade,
Levando-a ao himeneu
C'as vestes que lhe esgarrou;
 
Aquele que foi demente
De lhe roubar a leveza
Do canto Real dos Versos,
Foi despojando a beleza,
Esquartejando reversos,
coalhos de sangue morrente...
 
E eis-te, poeta, na masmorra
Das tumbas negras, mundanas,
Sem poesia, sem fanal...
E o bendito da "profana"
- Teu ergástulo fatal -
Vinga na tua madorra!...
 
Cristina Pires
Enviado por Cristina Pires em 19/02/2005
Código do texto: T4704

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cristina Pires
França, 51 anos
87 textos (6700 leituras)
1 áudios (37 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:22)
Cristina Pires