Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A boca lateja, ah! como lateja...

A boca lateja, ah! como lateja
Efeito da espera que
De promessa feita
Até então nada acontece

Olhei os ponteiros em disparada
Sinal aberto, atento à invasão
De cotovelo dolorido
Mordi a língua na última ressonada

Da alma calada, sofrega noite
Mil armadilhas pregavam os olhos
Donde está esta invasora???
A boca se abre em nova dor

Flui em vagos pensamentos
Delírios que suavam o corpo
Entre beijos que a tela expiava
Latejando joelhos de tão dobrados

Um pico de luz, cai a tela
Sim, é ela chegando, é nada
Scandisk passando lotado
Só mais um susto, mais nada

Hum! deve ser meu severo castigo
Há muito que nada falo, nada digito
Deve estar brava, com minhas faltas
Rasgando meus antigos textinhos

Demorei nesta última viagem
Demorei, para desembarcar de novo
Nem provando que tudo li de novo
E que ainda treme o coração

Desencanou da minha paixão
Encontrou quem mais se interessava
Quem mais lhe dava atenção
E deixou-me no espaço feito vaga

O HD travou, pensei que a tua raiva já tinha passado, mas não era nada disso!

Peixão89
Peixão
Enviado por Peixão em 02/09/2005
Código do texto: T47173
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Peixão
Santo André - São Paulo - Brasil, 57 anos
3231 textos (120252 leituras)
1 e-livros (241 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 08:31)
Peixão