Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

VIÚVOS



                                                                para os amores apagados tragicamente                  
mulher minha,
por quê me choras tanto agora?...
Eu, ao teu lado,
— tão presente —
ouvi tua voz dizendo tão baixinho
que amas como antigamente,
em calma profunda,
sem os agitos das cidades grandes
que desesperadamente, antes do teu choro,
procurou um cantinho para nos abrigar.

mulher minha,
por quê choras agora tanta falta?...
eu, ao teu lado,
— sem notícias —
procuro-me, feito desesperado,
nos papéis queimados
tão bem guardados
pelas gavetas frias desta cidade insana,
pequena, grande, desumana, sem tamanho,
a acomodar homens, cadáveres, pombos e ratos,
despreocupada em velar essa tua lágrima tanta!

mulher minha,
por quê tanto te espantas?...
Estou em solidão e nu
— assim como nasci —
desculpe-me se tento, em vão,
fazer-te rir.
Estou bem aqui, do outro lado,
em paz com a violência que me tirou de ti
perdoando os tiros, as balas infelizes
que mataram um grande amor.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 04/09/2005
Código do texto: T47612
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Djalma Filho http://www.recantodasletras.com.br/autor.php?id=686). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
658 textos (19523 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:18)
Djalma Filho