Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Caça a raposa




Hoje vou soltar, 
meus cães de guerra. 
Numa guerra sem tréguas sair á caça. 
Raposas eu quero, e vou caçar.
Por isso, meus cães estão soltos.
Correndo pelas ruas da cidade.
Onde tem raposas de varias raças.

Transvestidas em pele de cordeiros.
E eu quero caçá-las.
Raposas que devoram raposas.
Numa voracidade febril.
Vou entrar no seu covil.
Pois é lá que, que devemos pegá-las.

Amigo empreste-me o lobo
Que eu largo no meio delas.
Vai ser lindo ver, raposas correrem.
Procurarem refúgios, nas ruas.
Sem saber que lá, meus cães de guerra.
Estarão esperando por elas.

Vamos ver quem comem, quem.
Qual das raposas a mais esperta.
Que vai levar o troféu, por ser a mais ardilosa.
Meus cães não irão pegá-la.
Pois será ela quem levará a outra.
A pior de todas, a mais venenosa.


Volnei Rijo Braga
Enviado por Volnei Rijo Braga em 17/09/2005
Reeditado em 28/04/2007
Código do texto: T51282
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Volnei Rijo Braga
Pelotas - Rio Grande do Sul - Brasil, 69 anos
2314 textos (147484 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 06:22)
Volnei Rijo Braga