Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema para um Amor - III

Já me disseste
Da inutilidade das minhas confissões
Pergunto-me então, repetidas vezes
Por que prossegues entre meus versos
Se tudo é permanente miragem
E sempre te descobrirei
Em negações e renitentes deserções?

De que me servem tantas palavras
Se minhas mãos não alcançam
As linhas em que te debruças
No teu idioma de silêncios
Quando as tuas letras ocultam
O que te devolveria a ti e a mim?

Resta-me entre as mãos
A voz dos gestos incompletos
A linguagem jamais expressa
O timbre rouco de todas as carícias
O sussurro do olhar incontido
O murmúrio rubro do desejo

Resta-me os lábios órfãos
O indefinido gosto da tua boca
A desfocada impressão dos teus olhos
Acordando cada um dos meus dias
A vertigem de dizer-me tua
O som inequívoco do meu corpo
Pronunciando-me para as tuas mãos

E se nada ouvirás
Se cada verso apenas prolongará
Essa confissão desmedida
De que adianta descrever
A nudez do meu peito
O soletrar de cada olhar
O consentimento que nasce
Quando apenas em ti penso?

 

 

Fernanda Guimarães

 
Visite "De Amores e Saudades - Fernanda Guimarães":
www.fernandaguimaraes.com.br
Fernanda Guimarães
Enviado por Fernanda Guimarães em 01/03/2005
Reeditado em 25/08/2008
Código do texto: T5462
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Fernanda Guimarães
Fortaleza - Ceará - Brasil
430 textos (64243 leituras)
9 áudios (1778 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/16 09:15)
Fernanda Guimarães